Voando no Phil Schacht Aerobatic Kickoff

04 [1600x1200]

Enquanto no Brasil os campeonatos ficaram em ‘stand-by’ por um grande período, o piloto Marcelo Sabat nos conta como resolveu viajar até os Estados Unidos para voar e competir acrobacia aérea. 

.

Esta história começou quando eu… nasci. Desde que me lembro, sempre ia com o meu pai nos finais de semana voar com o seu ultraleve em Ponta Grossa, ou então voar com os aeromodelos na antiga pista de pouso da minha cidade, em Irati. A paixão pela acrobacia, acredito eu, surgiu com os aeromodelos, na época em que meu pai voava com um ‘Extrinha’ e fazia as manobras, e eu, muito pequeno, ficava só observando. A partir dali comecei a frequentar alguns eventos aeronáuticos, e até mesmo um campeonato de acrobacia em Ponta Grossa – há muito tempo, por sinal… lá eu percebi que era aquilo que eu queria, achei tudo aquilo incrível!!

Passando-se os anos, fui para o Aeroclube do Rio Grande do Sul (ARGS) onde chequei meu PP. Lá, como todos sabem, a acrobacia não é mais como antigamente, mas ainda se vê alguma coisa: tive a oportunidade de voar o CAP-10B, PT-LXM, um dos aviões que voava na esquadrilha Tchê Connection, e também voar no Citabria, com o Cmte. Machado, onde aprendi vários fundamentos e princípios básicos da acrobacia. Como eu moro em Curitiba e aqui não existe nenhum curso de acrobacia ou algo do tipo, só posso voar ‘acro’ quando vou pra Porto Alegre, e isso só nas minhas férias.

Então vou contar aqui um pouco como foi a experiência de voar la fora, pois acredito que muita gente que está iniciando ou que quer iniciar esse esporte tem a curiosidade de saber como funciona.

558498_10151434619538565_904111435_n

Decidi então ir até os EUA buscar algo nesse sentido. Procurei por algumas escolas, alguns campeonatos la na Flórida, até que entrei em contato com o pessoal do IAC chapter 288, que organiza o campeonato em Keystone Heights, e perguntei se era possível eu competir alugando um avião, e se eles sabiam de algum local para voar. Eles me indicaram um clube, por meio do qual foi possível treinar e voar no campeonato Phil Schacht Aerobatic Kickoff de 2013: o Eagle Sport Aviation, clube muito bom por sinal, onde pude voar um Pitts S-2B!  O incrível é que, para competir, a única coisa que me pediram no dia no campeonato, logo após a minha inscrição foi que  preenchesse alguns papéis, a minha CHT brasileira de piloto privado, um certificado médico válido  (como agora é pela internet eu imprimi e mostrei pra eles no papel mesmo) e a carteira do IAC (International Aerobatic Club), ao qual eu me filiei um pouco antes de viajar. Mostrando isso, estava pronto pra voar!

O primeiro dia foi apenas de treinos, para reconhecer o box de manobras, a posição dele e etc. O box eu achei muito pequeno pela primeira vez! Achei que seria impossível ficar dentro dele o tempo todo. Apesar de não ser necessário na categoria primária,  manter-se dentro do box é muito importante, pois é um voo alto e facilita ao ficar em uma posição boa para os juízes. Comecei a treinar, subida de 45°, parafuso.. quando alinhei para iniciar o meio 8 cubano após o parafuso, percebi que tinha ficado totalmente desalinhado com o eixo do box: no aeroporto existem 3 pistas formando um triangulo, e uma delas formava uns 45 graus com a pista que era paralela ao eixo do box – então, durante o meu parafuso, eu alinhei com a pista errada! Mas foi apenas no começo, e apenas nos voos de treino; logo nas outras sequencias deu tudo certo… mas tinha que continuar muito atento, aquilo enganava bastante!

Sem título

No segundo dia, foi a hora de voar na frente dos juízes pela primeira vez. Cinco juízes, cada um com um recorder e um assistant judge. O recorder anota tudo o que o juiz fala (como pontuação, observações e etc) e escreve na folha de pontuações do competidor, e o assistant judge lê e fala pro juiz cada manobra que será voada. Eu fui recorder de 2 juízes durante o campeonato, aprendi muita coisa! Fui recorder do Kevin Campbell, e tambem do Marty Flournoy, membro do US Advanced Aerobatic team. Infelizmente todos nós tivemos que voar tudo em apenas um dia (sexta-feira), pois no sábado e domingo choveu muito por lá! No meu único dia de campeonato fiz os meus 4 voos, com as porcentagens de 82,02% no primeiro, 83,27% no segundo, no terceiro 83,92% e no último voo 84,67%, o que para mim eu considero scores muito bons! Muito além do que eu esperava, ainda mais sendo meu primeiro campeonato…obtive uma média final de 83,47%! E recebi uma indicação para receber a Power Primary Smooth Award e também a Stars Award! Muito bacana o jeito como eles incentivam! Foi uma experiência fantástica, uma realização de um sonho! Eu espero continuar seguindo este caminho que iniciei, e chegar ao topo da carreira de um piloto de competição, a categoria ilimitada.

Por fim, agradeço à todos os envolvidos que me apoiam e acreditam em mim, principalmente aos meus pais, que, apesar de não estarem mais entre nós, estariam muito, mas muito contentes com essa minha conquista…

Texto e fotos: Marcelo Sabat

.

06

07

05

_________________________________________________

About these ads

3 Respostas para “Voando no Phil Schacht Aerobatic Kickoff

  1. Aí Marcelo, que sucesso hem? Parabens meu querido sobrinho. e que vc continue iluminado por Deus, e realize todos os teus sonhos.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s