O que é Acrobacia Aérea?

Foto: Plinio Lins

A acrobacia aérea é genericamente definida como qualquer “manobra efetuada intencionalmente com uma aeronave em vôo levando-a a atitudes ou acelerações anormais ou, ainda, a mudanças bruscas de altitude”. É uma definição internacional, mas extremamente genérica, e que acaba envolvendo voos que nem sequer poderiam ser chamados de ‘acrobáticos’ (como o voo agrícola, de combate a incêndios ou de propaganda com faixa).

O voo acrobático da forma que é definido acima pode ser feito com praticamente qualquer categoria de aeronave, e nem é necessário ir a um evento aéreo para comprovar isso.

Mas há uma categoria de voo acrobático que é um esporte, e que exige domínio dos ares, como o voo à vela, o parapente ou o paraquedismo, mas que também é um esporte mecânico, como a Formula 1.
Ela é praticada em aviões motorizados (mas também em planadores) especialmente adaptados. Em geral leves e potentes, esses aviões podem voar indiferentemente em voo normal ou de dorso (graças a uma alimentação especial do motor) e podem suportar acelerações de gravidade (carga “G”) mais elevadas que a maior parte das outras aeronaves, durante as manobras mais fortes.

HISTÓRIA

A acrobacia aérea é uma atividade quase tão antiga quanto a própria aviação. É praticamente impossível saber qual foi o primeiro piloto que resolveu colocar o avião em “atitudes e acelerações anormais”. Conta-se que o piloto francês Adolphe Pégoud, por volta de 1913, fez um salto de paraquedas e viu seu avião seguir voo e realizar naturalmente um círculo vertical no céu, antes de cair. No mesmo ano, Lincoln Beachey, nos EUA, e Nicolai Nesterov, na Rússia, também realizaram os primeiros loopings em aeronaves.

Com a Primeira Guerra Mundial, os combates aéreos obrigaram os pilotos a inventar manobras ousadas. O repertório de figuras de acrobacia se enriqueceu, a técnica e a segurança também se aperfeiçoaram.

Após o fim da guerra, a prática de voos acrobáticos se disseminou, facilitada pela grande disponibilidade tanto de ‘ases’ quanto de aviões remanescentes das fileiras militares. Muitos foram tinham em vista os eventos e exibições, e na prática o único critério era o arrojo dos pilotos (o que muita vezes acabava mal).
São dessa época os primeiros registros de voos acrobáticos no Brasil, com os irmãos Robba (italianos) e com a aviadora Anésia Pinheiro Machado.

Foto: FAB

Foto: FAB

Sobrevindo a II Guerra Mundial, aprimoraram-se os aviões, as manobras se tornaram mais potentes, rápidas e precisas, aperfeiçoou-se o voo em esquadrilha, e, novamente após o fim do conflito, muitos pilotos, a maioria de origem militar, continuaram aprimorando a prática do voo acrobático. A partir do final da década de 1940 e início de 1950 surgiram as principais esquadrilhas de demonstração aérea (por exemplo, Blue Angels, Thunderbirds e a nossa Esquadrilha da Fumaça), e ao redor delas o fascínio do voo de acrobacia continuamente contagiava pessoas, onde quer que fossem.

Foto: US Navy

Foto: US Navy

Com o passar do tempo, surgiram os campeonatos de acrobacia, o que passou a exigir regras cada vez mais elaboradas, e aviões especialmente projetados para isso. O primeiro campeonato mundial ocorreu em 1960, em Bratislava, Tchecoslováquia.

Atualmente a acrobacia aérea é uma atividade perfeitamente codificada, como a patinação artística ou a ginástica, com figuras catalogadas, e que uma formação progressiva e sólida permite praticar em total segurança. A improvisação não deve ter lugar na acrobacia aérea.

“Um piloto de acrobacia deve ter sorte, mas não deve jamais contar com ela.” Christian Lesage, piloto francês.

UTILIDADE PRÁTICA DO VOO ACROBÁTICO

A acrobacia aérea aperfeiçoa no piloto diversas qualidades: autoconfiança, domínio do voo, destreza, precisão, acuidade de visão, rapidez de interpretação e de decisão, etc.. É portanto também uma forma de explorar as três dimensões de maneira muito mais íntima do que pelos pousos e decolagens do voo convencional.

Mas a acrobacia é também uma atividade constantemente renovável: de um voo ao outro, as condições meteorológicas se modificam, as manobras podem ser combinadas de formas indefinidamente diferentes, a destreza progride, o prazer do sucesso se se afirma e recompensa os esforços realizados.

Foto: Plinio Lins

E mais, a acrobacia aérea é uma atividade desportiva onde se adquire perfeccionismo, pois ao lutar para corrigir os pequenos defeitos técnicos, aprende-se a dominar reações físicas e emotivas.
E finalmente, a acrobacia aérea é uma atividade individual que se pratica em grupo. Quando o instrutor se torna dispensável diante do piloto já formado, é o treinador que intervém para dar os avisos, dicas, macetes, ou tão somente para orientar via rádio sobre a segurança visual na área de evolução, etc.

SEGURANÇA E FISIOLOGIA

A segurança é uma preocupação constante, tanto para os pilotos quanto para os treinadores e instrutores, e deve ser mantida nos níveis mais rigorosos:
-pela natureza dos aviões, que são concebidos especificamente para manobrar
-pelo uso do paraquedas, que é obrigatório
-pela atenção reforçada que cada piloto dispensa a seu avião antes de voar
-pela experiência adquirida e transmitida pelos instrutores aos pilotos, e de piloto a piloto
-porque a finalidade é explorar ao máximo o domínio seguro do voo,
-porque a progressividade da formação e do aperfeiçoamento através das categorias de voo permite a cada um acostumar seu organismo progressivamente e se adaptar às perfomances das aeronaves.

E sobretudo, porque voar melhor não significa voar mais baixo, mais rápido nem mais forte.

______________________________________________________________________

Concluindo, podemos dizer que a acrobacia aérea é:

UM ESPORTE:

Um esporte de desafio, ao mesmo tempo físico e mental, onde os pilotos devem combinar a arte da pilotagem com a resistência física (acelerações extremas de até 10 Gs positivos ou negativos), e desenvolverem aptidão de pensar rápido e antecipar reações.

UMA ARTE:

Uma arte que consiste, para o piloto de campeonato, em fazer manobras em três dimensões e executar figuras bem definidas, como loopings, tounneaux, hammerheads, etc. E para o piloto de demonstração, é uma arte que consiste que criar uma coreografia harmônica, bonita e atraente de ser vista.

UM ESPETÁCULO:

O espetáculo do homem dominando a máquina, o espaço e o tempo, seja em um programa previamente codificado (campeonatos), seja em uma obra de sua própria criação (show aéreo).

(fontes: Breitling World Cup Aerobatics – caderno de briefing; France Voltige; portal FAB – personalidades e façanhas)

.

.

Anúncios

2 Respostas para “O que é Acrobacia Aérea?

  1. Pingback: Canal Piloto Links da Semana » Canal Piloto·

  2. Pingback: 1º Acrobeach Itapema destacou shows de acrobacias aéreas | Hangar 33·

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s