Ladislav Bezák e o Lancevak

Ladislav Bezák, um piloto de acrobacias da década de 60 na Tchecoslováquia, é conhecido no meio acrobático por ser o vencedor do primeiro campeonato mundial de acrobacia aérea – realizado em Bratislava, em setembro de 1960 – e por ser o criador de uma das manobras mais surpreendentes e inovadoras daquela era. Uma manobra que até hoje continua a ser utilizada pelos melhores pilotos na categoria Freestyle: o Lancevak. (Nota da tradução: o nome desta manobra é encontrado na literatura com algumas variações, como Lomcevak, Lancevaque e Lomcovák, sendo esta última a denominação original. Neste artigo, será adotada a nomenclatura Lancevak, popularizada no Brasil devido à sua utilização pela Esquadrilha da Fumaça).

As regras deste campeonato eram muito diferentes das atuais. Por exemplo, nos programas Freestyle da época, os pilotos eram autorizados a voar sequências com 30 figuras, com 5 revoluções achatadas no ápice da figura 24, e linhas de 70 graus – em comparação com as linhas 45 e 90 graus utilizadas hoje.

Nesse campeonato, Ladislav Bezák, membro da equipe nacional da Tchecoslováquia, voando um Zlin 526, realizou um programa Freestyle bastante inovador e ousado para a época, incluindo manobras completamente novas, nunca antes vistas em uma competição internacional. Uma delas era uma manobra giroscópica “descontrolada” que, com o passar dos anos, veio a ser conhecida como o Lancevak.  A outra, uma manobra de auto-rotação vertical, o parafuso chato.

Em 1960, ninguém sabia o que era um Lancevak, muito menos a diferença entre um Lancevak giroscópico e um Lancevak giroscópico cônico. Ambas as manobras estavam no seu programa. No Lancevak giroscópico (na figura principal), o avião estava em uma linha de 45 graus, descrevendo uma trajetória parabólica com quase zero G, enquanto fazia uma série de giros. No Lancevak giroscópio cônico, o avião fazia uma linha vertical, e ao se aplicar pedal direito com aileron direito e manche à frente, o avião rapidamente girava para fora, fazendo dois outside loopings .

Depois que Ladislav deu uma explicação básica sobre as manobras no solo, os juízes, que nunca haviam visto um parafuso chato e nem entendiam como ele diferia de um parafuso normal, tomaram notas sobre elementos importantes, como por exemplo: o profundor estava para baixo e o motor estava a pleno durante a execução da manobra. Acima de tudo, foi informado que a manobra deveria ser realizada a uma altura inferior a 500m (muito baixo, considerando que o avião deveria realizar 5 giros), para que fosse visível aos juízes.

Diante das fenomenais e inovadoras figuras criadas por Ladislav, os juízes avaliaram seu impressionante voo e deram a ele a pontuação mais alta, declarando-o melhor piloto do primeiro campeonato mundial de acrobacia.

Alguns meses após o campeonato estas figuras foram erroneamente declaradas “manobras descontroladas”, principalmente por causa de pessoas que estavam reticentes em aceitar um avanço no mundo da acrobacia e, em menor grau, porque as manobras foram introduzidas por pilotos jovens, como Ladislav. No entanto, ele tentaria mostrar que estas manobras eram executadas de forma controlada a todo o momento.

Nessa altura, variações do Lancevak foram testadas pelas autoridades civis para investigar as cargas G produzidas em diferentes tipos de aviões, bem como a velocidade angular do avião, que parecia incrível. Ladislav participou destes testes, e durante a execução de uma manobra, ele chegou a perder a hélice, exatamente porque era impossível convencer alguém da altíssima velocidade angular que o avião experimentava e os efeitos giroscópicos envolvidos. Depois que seis hélices foram perdidas (Tchecoslováquia, Inglaterra, Polônia e Alemanha), ficou claro que os pilotos deveriam respeitar certas limitações, como o iniciar a manobra com o nariz 60º acima do horizonte, com uma velocidade menor que 100kt com 25% potência, usando o pedal oposto antes de iniciar o giro (para aumentar a velocidade de rotação angular cinética) e, em seguida, iniciar o outside snap

Em 1964, depois de algumas pequenas modificações na mesma sequência utilizada no primeiro campeonato mundial, Ladislav terminou em segundo lugar no 3º campeonato mundial, realizado em Bilbao, ficando atrás do espanhol Tomás Castaño. Estas modificações das figuras foram necessárias por causa do vento calmo e das altas temperaturas. De acordo com o escritor Neil Williams, presente no campeonato e autor do livro Aerobatics, a sequencia de Ladislav comprovou que era praticamente impossível voar aquele programa sem uma compreensão excelente do voo de acrobacia a alta velocidade, com um avião com menos de 200cv e pesando 1.000lbs, e ainda assim ficar dentro do box. O chefe de projeto da fábrica Zlin, também presente no campeonato, estava convencido de que o avião seria destruído caso Ladislav tentasse voar a sequencia que havia criado. Mas ele estava errado. Ladislav estava voando naquela época um avião com 168cv, equipado com uma hélice de madeira especial pesando 519 kg. O avião possui também algumas modificações: geometria diferente no profundor e direção distinta, envergadura menor, pontas das asas achatadas, e a instalação apenas de tanques de combustível e óleo – sem bateria, motor de arranque, flaps, aquecimento do carburador ou freios.

Por esta razão, o avião foi classificado como experimental pelas autoridades tchecas, se beneficiando de excelente performance  a baixa velocidade, e sendo capaz de executar manobras de alta carga G de forma segura, fora dos limites estruturais do avião.

Mais de 50 anos se passaram desde que o Lancevak foi introduzido pela primeira vez, e a controvérsia gerada até hoje continua a persistir entre muitos pilotos. De acordo com Ladislav: “(…) para alguns, o Lancevak pertence à família de manobras descontroladas e, infelizmente, estes pilotos são incapazes de executá-la corretamente, possivelmente porque ninguém explicou a eles de forma adequada. No entanto, existem outros pilotos, apenas alguns para ser sincero, que executam variações giroscópicas do Lancevak de forma espetacular”.

Não há dúvida de que Ladislav foi um inovador na acrobacia, sendo um pioneiro aos olhos de muitos na realização destas manobras inicialmente impossíveis e mudando a percepção e os limites do esporte naquela época. Pessoas como ele procuraram ir além, se aventurando ao desconhecido, apesar de algumas vezes estarem sozinhas nessas ideias. Elas foram responsáveis ​​por estabelecer os pilares e fundamentos de um esporte que, com o passar dos anos, tornou-se um dos mais espetaculares do mundo.

 lancevak

Origem do nome

A origem da palavra “Lomcovák” , bem como seu significado, têm diferentes interpretações. De acordo com Ladislav, o público foi o responsável por adotar esta palavra, interpretando a origem da palavra a sua própria maneira, e dando-lhe um significado divertido.

Na França, Suíça e outros países europeus, Ladislav era conhecido como “L’homme slovaque” – o homem da Tchecoslováquia. Em uma apresentação em Cannes em 1962, da qual Ladislav participou, sua irmã estava presente e eles perguntaram-lhe o que seu irmão estava fazendo. Sem falar francês, ela simplesmente repetiu o que tinha ouvido: “Lommesolovak”.

Para os americanos, a palavra assumiu o significado de “dor de cabeça” (headache em inglês) depois de uma entrevista com um mecânico e outro piloto tcheco. Quando foram perguntados sobre o que estavam fazendo naquele, eles responderam: “O que, seu cabeça dura, você não sabe o que é um Lomcovák?” (“What, you hard head, don’t you know what a Lomcovák is?”). A resposta foi mal interpretada e a expressão “wood head”  nasceu, ao longo do tempo tornando-se “dor de cabeça” para os americanos.

A palavra também tem um significado na região da Moravia, onde normalmente é utilizada para descrever os movimentos cambaleantes de alguém que bebeu demais. A Moravia é uma região conhecida pela “Jelinek Slivovitz”, uma bebida tradicional tcheca. “Lomcovák” refere-se a beber um copo de Slivovitz, e também é usado para descrever humoristicamente quando alguém está tremendo.

Fonte:  SNAP&ROLL

Reprodução autorizada do original em inglês

Tradução: Raphael Lopes Brescia

Vídeo descritivo (em inglês)

Lancevak que era realizado pela Esquadrilha da Fumaça

Cmdt Marcos Geraldi -  CEA-309 Mehari - Tuareg Aerobatics

Anúncios

Uma resposta para “Ladislav Bezák e o Lancevak

  1. Pingback: O novo estilo da Esquadrilha da Fumaça | aeromagia·

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s